domingo, fevereiro 15, 2009

O Paraíso segundo Costa-Gavras

Eden à l`Ouest é o filme de Costa-Gavras (na foto) com o qual, bem em grande, desce o pano sobre o Festival de Cinema de Berlim (Berlinale).
Uma beleza de filme! Atentamente seguido pela numerosa plateia e, no final, brindado com uma reconhecida salva de palmas.
Dizer que esta obra aborda a temática da emigração clandestina seria, de algum modo, dizer pouco. Redutor, ao fim e ao cabo. Esse será, quero crer, o núcleo para uma pluralidade de temas que fluem com naturalidade e subtileza ao longo do filme, inquietando o espectador. Pois que com verdadeira mão de Mestre a obra é construída! A natureza humana e as suas fragilidades e momentos de grandeza, as humilhações e a vontade de vencer na vida, o Estado da abundância e os seus medos e contradições, a indiferença perante o sofrimento alheio, enfim...
E é fortíssimo o facto de a personagem central praticamente não falar. Entre a incompetência linguística e a sucessão dos acontecimentos, Elias (assim se chama essa personagem) é um quase-mudo. Mas é ele o “dono” desta odisseia relatada. Uma odisseia que é, afinal, igual a tantas outras que têm acontecido e continuam a acontecer nesta dolorosa busca (que, infelizmente, continua) do Ocidente.
Há algo de auto-biográfico neste filme? Talvez. O certo é que ele é um testemunho poderoso, bem à altura de alguém com o percurso (o engajamento) de Costa-Gavras.
É tão bom quando se sai da sala de cinema com essa inconfundível marca de gratificação interior!...


2 comentários:

Edy disse...

Jorge,
não vite o documentário sobre a fome do José Padilha (Tropa de Elite) intitulado "Garapa"?vale a pena...disse a critica.Estou a espera pela estreia nos cinemas...abraço

jt disse...

Edy,
Garapa? Nem vê-lo. Não consegui. Shame on me! Logo que consiga, falamos sobre.
Abraço,
J.